terça-feira, dezembro 06, 2005

Minha A.,

Já é tarde aqui, mas não tenho sono. Acabei de chegar, tomei um banho e corri para o papel. Precisava te falar.
Como nossa correspondência andava tão íntima, acabei não te contando algumas coisas. Não, não foi esquecimento, apenas o momento não era oportuno.
Acabamos de ensaiar a peça, querida. Por sinal, hoje foi o último ensaio antes da pré-estréia que será amanhã.
Ficaremos apenas uma semana em cartaz em Paris, depois excursionaremos pela Europa.
Estou ansiosa, deve ser por isso que não tenho sono.
Ah! Consegui o papel da Blanche Dubois! Lembro de como adoravas esta personagem do Tenessee Williams. Ainda gostas, A?
É realmente incrível como vocês são parecidas. Já percebestes? Em todo o tempo de preparação, oficinas, marcação de texto, pude observar a semelhança. O processo de criação da personagem quase me esgotou porque foi um mergulho profundo em nossas vidas.
Queria dizer-te que suas últimas cartas foram cruciais para definir minha Blanche, A. Não tenho como te agradecer.
Estarei de volta à Paris no início da primavera. Aí abriremos para uma longa temporada.
Gostaria tanto que você viesse e ficasse o tempo que quisesse, A. Venha! Assista a peça e conte-me suas impressões. Descanse, dê um tempo para sua relação e, por favor, traga “nossa” filha para eu conhecer. Vai ser divertido. Mostraremos Amboise e seu jardim de delícias à nossa pétite. Quero que ela saiba da existência dos frutos rubros na mais tenra idade, assim ela entenderá que a felicidade é um fato.

Estás sentada?
Meu maior sonho – depois daquele que se mostrou impossível – vai ser realizado. O diretor da minha companhia topou encenar A paixão segundo G.H!
Dei-lhe o livro de presente. Ele leu. Gostou. Marcou um encontro comigo, conversamos sobre o texto, o enfoque, trocamos idéias e ele quer dirigir um monólogo baseado no texto dela, da nossa Clarice. E tem mais! Ele vai usar o material do meu livro, lembra d’O diário de G.H? Meus apontamentos sobre o livro da Clarice? Pois é, o texto finalmente ficou pronto e eu encontrei alguém louco o suficiente para experimentá-lo.
A estréia da peça será simultânea ao lançamento do livro.
Eu não abro mão da sua presença, A!

Acho que depois disso, eu já posso morrer, querida. Dificilmente eu serei mais feliz do que sou agora.

Beijos,

V.

P.S.: Dentro dos próximos dias, não terei tempo de postar a carta. Então pedirei à minha mãe que o faça assim que ela puder.

5 comentários:

Angela disse...

Dear Lu...
É tudo culpa do seu amigo Yoda, verdinho de chatice. Estive muito envolvida com a mudança e ainda mantendo os compromissos profissionais (sobretudo os plantões) até que os respectivos colegas encontrassem substitutos. Providenciando a mudança, encaixando, doando, vendendo...imagine! Pedi para o Hercules ligar para você... achei que ele o tinha feito. Depois que chegamos tive a fase da arrumação e depois precisamos ir a Alagoas. Juro que achei que o meu digníssimo esposo havia entrado em contato com você. Peço milhares de desculpas. Mas realmente foi tudo corrido. Hercules foi chamado e deveria estar aqui em Rio Branco três dias depois...e eu fui chamada 1 semana depois, vim e voltei...uma confusão. Mil perdões. Prometo-te que no fim-de-semana EU ligarei. Um beijo enorme.
Angela

Lu disse...

Ai que eu ainda pego esse verdinho duma figa!
É bom que vocês fiquem logo ricos e famosos e voltem para abrir uma clínica aqui porque Rio Branco é muuuuuuito loooooonge.
Boa sorte, queridos.

Mariza disse...

Oi, Lu.
Que saudade, menina!
Fiquei sem internet até hoje. Acabei por descobrir que sou "Addicted"! hahaha
'Cê sabe que eu adoro as "cartas", né?
Um beijo e um cheiro.
PS: e o sonho? já se realizou? ;)

Lu disse...

Saudade docê, frozinha. Que diabos é ser "addicted"?
Cá entre nós, a Valentina jamais faria essa pergunta! hahahaha
Que bom que gostas das cartas, elas são muito importantes para mim.
Outro beijo e cheiro, querida.

P.S.: Acho que tô impressionada, sabia?? Apesar de ser impossível, estou me sentindo como se estivesse! ai ai ai...

Mariza disse...

addicted = viciada (chic)