quarta-feira, agosto 31, 2005

Profissão de fé

Do ideal e da Glória

Que busca o escritor? O verdadeiro escritor, isto é: o que faz da palavra escrita sua razão de viver. Pois, como tudo, e do mesmo modo que existe, por exemplo, o mau sacerdote, também o escritor, tem os seus macacos. Os que imitam os gestos do escritor, publicando livros, discutindo sobre Joyce, dando entrevistas, e não são escritores. Estes buscam tão-somente o nome nos jornais, mais tarde as sinecuras, os postos bem pagos, as condecorações, tal ou qual prestígio social e, naturalmente, a Academia. Tais personagens não contam e não importa o que buscam: são segregados pelo mesmo chão que produz todas as outras espécies de embusteiros.

O que o escritor deseja é realizar e entregar, aos seus semelhantes, principalmente aos que falam a sua língua, obras às quais hajam consagrado o melhor de si mesmos. Trabalhar submisso a restrições, sob encomenda, é necessário em outros ofícios. No seu, a encomenda e a restrição correspondem exatamente à morte do ofício. A liberdade é seu clima.

A liberdade? De que natureza? Todas. A começar pela liberdade interior. Isto é, pelo arrefecimento, em seu íntimo, de ambições alheias à literatura e que possam desviá-lo, perdê-lo.
Essa liberdade, que, com maior ou menor esforço, pode ser alcançada em condições adversas, não basta. Uma série de fatores outros é exigida para que o ato de escrever, o ofício de escrever alcance a plenitude.
(Osman Lins. Do ideal e da glória - problemas inculturais brasileiros)

6 comentários:

Liliane disse...

é verdade. mtos escrevem , mas n merecem o titulo de escritor.
bjos

Marcos disse...

E assim são os "atores", "escultores", "poetas", "cantores"...

arruda disse...

procuro o que as palavras desistiram / de dizer.

abraço de arruda

Lu disse...

É Lili, escrever exige comprometimento profundo com a palavra. Beijoca//Marcos, ainda bem que existem os Poetas, os Cantores, os Atores...//Arruda, é uma bela busca essa de esmiuçar as palavras.

Vítor Leal Barros disse...

sò para deixar um beijo grande


d. quixote anda por tarragona neste momento

Lu disse...

Querido D. Quixote, anote tudo e depois me faça longos relatos sobre cada moinho de vento que encontrares!
Outro beijo grande :))