sábado, dezembro 23, 2006

Feliz Natal

Photobucket - Video and Image Hosting
Igreja Basílica Nosso Senhor do Bonfim.

NOITE FELIZ
(Adélia Prado)

Dói tanto que se pudesse diria:
me fere de lepra.
Mas que importa a Deus o monte de carne podre?
Tem piedade de mim, Vós, cujo filho duas vezes gritou,
apesar de ser Deus. Me dá um sonho.
É como se meu pai não me amasse
não tivesse dado a vida por mim.
Só belos versos, não.
Uma linha depois da outra,
tão finamente escritas,
com tão primoroso fecho –
e o que sinto é cansaço.
Basta a beleza própria
da estocada das coisas no meu peito.
Comer, sonhar, talvez morrer, quem sabe?
A morte existe, ô pai?
Sei que na Polônia católica
ninguém escreveu com estas mesmas palavras
na carrocinha de doces:
“para todos e sua família desejo um feliz natal”.
No Brasil, sim, na minha rua,
Usando uma língua pobre e uma caneta de cor,
alguém sentiu o inefável.
Não se perderá o fermento, ó comadre.
Bebem? Não pagam as contas?
- Vamos fazer um teatro...
Tem máscara do boi, do burro,
As vestes de José e Maria,
tem a roupa do homem que negou hospedagem
mas que veio depois, depois da estrela,
dos anjos, depois dos pobres pastores, e mais recebeu.
Porque não merecia.
Sou miserável.
Um monte de palha seca
É a obra de minhas mãos.
Tem piedade de mim,
Desce, orvalho do céu,
Desce sobre nós,
Restabelece o fio das conversas saudáveis.
Traze a fresca manhã.

5 comentários:

Alessandra Espínola disse...

Imagem bela e Adéila é sempre divina! Tudo de bom pra você, minha querida! Muita paz, saúde e força! Um beijão! Alê

Lu disse...

Oi Alê!! Obrigada, querida. Desejo tudo a ti, só que em dobro. Beijoca.

Lu disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
CeciLia disse...

Tentando ressurgir, minha Lu, como em tantos anos quando ainda estão frescos de expectativas.

Feliz 2007. Beijo na alma.

Lu disse...

"Tentar" é sinônimo de "não desistir", minha Lia. Enquanto houver fé na vida e no frescor dos dias, nós vamos seguindo.
Beijo na tua alma.