segunda-feira, janeiro 30, 2006

De profundis

Image hosting by Photobucket
Cores de hoje, Teresa Santos

Extasiada, abri o pacote.
Pela primeira vez via a sua pequena letra, pela primeira vez tocava algo que estivera antes em seu poder; uma marca, um perfume.
Não, jamais duvidara da nossa amizade, do afeto que nos une através de tantos mares em que navegamos a espera de um sinal, um aceno, uma confidência... mas agora era diferente – toda nossa ternura materializou-se como se num breve piscar de olhos minha mão alcançasse seus ombros e nos enlaçássemos no longo abraço tão almejado por nós.
Certa vez, disse-me que alguém que ama muito ensinou-lhe a falar sobre as coisas do coração, ensinou-lhe a não represar a força do verdadeiro amor. Eis aí um belo aprendizado, de outra forma, eu jamais saberia o que é ter o horto do meu coração em chamas.

3 comentários:

CeciLia disse...

Minha Lu,

boa semana, querida. Deixei uma prosinha pr'ocês lá no sincronicidades. Lindo este post, lindo.

Trouxe lembranças fooorrrttteess...

booooaaassss....

Beijo

Vítor Leal Barros disse...

ahh! o presente também está aqui....hehehe

Lu disse...

Minha Lia, já fui ver tua prosa - na sua e na minha casa.
Certamente, o momento descrito já está marcado na minha memória. Beijos

Vítor, o presente deveria estar marcado nos quatro cantos da Terra... ainda reverbera em mim a felicidade.
Beijos